Excerpt for Teologia Sistemática – Bibliologia - Estudo Panorâmico sobre as Escrituras by , available in its entirety at Smashwords

Teologia Sistemática – Bibliologia

Estudo Panorâmico sobre as Escrituras -

Dr. Alexandro Carbonaro

Observação inicial: Caso seja observado algum erro, pode ter ocorrido no momento da conversão para o formato e-book


A Bíblia em si, recebe outros nomes como Palavra de Deus, Sagrada Escritura, Lei, Lei e os Profetas, Livro Sagrado, Sagradas Letras, Divina Revelação, etc.

Evangelismo – perguntas difíceis?

Os 4.6 O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porquanto rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos.

BÍBLIA SAGRADA: Formada por 66 livros é a mensagem de Deus para o seu povo. Segundo a tradição aceita pela maioria dos cristãos, a Bíblia foi escrita por 40 autores, entre 1500 e 450 a.C. (livros do Antigo Testamento) e entre 45 e 90 d.C. (livros do Novo Testamento), totalizando um período de quase 1600 anos. Deus inspirou homens para registrar suas palavras a fim de transmiti-las a outras pessoas. A bíblia é única, Divina, Viva, Completa, Verbal, Inspirada e Transforma. Escrita em: Pedra, Barro, Papiro, Couro, Cacos de Louça e Linho. Foi organizada em capítulos no ano de 1250 d.C. por Hugo Saint Cher e em versículos: (AT), em 1445 pelo Rabi Nathan e o (NT), em 1551, pelo Pr. Robert Stevens.É ferramenta para entendimento da vontade de Deus para nossas vidas. Proclama a obra amorosa e redentora de Deus para os que não conhecem Jesus Cristo.

Os Originais: Grego, hebraico e aramaico foram os idiomas utilizados para escrever os originais das Escrituras Sagradas. O Antigo Testamento foi escrito em hebraico. Apenas alguns poucos textos foram escritos em aramaico. O Novo Testamento foi escrito originalmente em grego; era a língua mais utilizada na época.

O Antigo Testamento Em Hebraico: Muitos séculos antes de Cristo, escribas, sacerdotes, profetas, reis e poetas do povo hebreu mantiveram registros de sua história e de seu relacionamento com Deus. Estes registros tinham grande significado e importância em suas vidas e, por isso, foram copiados muitas e muitas vezes e passados de geração em geração. Os livros do Antigo Testamento foram escritos em longos pergaminhos confeccionados em pele de cabra e copiados cuidadosamente pelos escribas. Formado por 39 livros escritos originalmente em hebraico, é um relato histórico da obra de Deus na terra antes do nascimento de Jesus.

O Novo Testamento Em Grego: É o nome dado à coleção de livros que compõe a segunda parte da Bíblia cristã, cujo conteúdo foi escrito após a morte, ressurreição e ascensão de Jesus Cristo e é dirigido explicitamente aos cristãos, embora dentro da religião cristã tanto o Antigo Testamento (a primeira parte) quanto o Novo Testamento são considerados, em conjunto, Escrituras Sagradas.

Seus 27 livros escritos foram escritos em grego e num espaço de cerca de 50 anos. Sua mensagem principal se refere à obra redentora de Jesus Cristo e à primitiva igreja cristã, mas também oferece preciosos mandamentos sobre a vida com Deus. Pode ser dividido em 3 partes: Evangelhos, as Epístolas e Profecia

Mas porque a Bíblia possui 66 livros?

E os demais livros existentes?

CANÔN BÍBLICO: Canôn (Grego“kanõn” = cana, régua) - Padrão ou norma de um escrito, julgado como inspirado ou dotado de autoridade divina:

Características: a) Idade do Livro; b) Língua usada; c) concordância com outros livros; d) Expressões que atestam a autoridade divina; (Assim diz o Senhor...) e) Função profética verdadeira; f) Confiabilidade doutrinária; g) natureza dinâmica transformadora; h) aceitação do livro pelo povo de Deus; i) características literárias.

Canon Do Antigo Testamento: Conjunto dos livros do AT que a igreja cristã reconhece como genuínos e inspirados. No cânon aceito pelos evangélicos há 39 livros. O cânon católico tem a mais 7 livros e algumas porções. O cânon do AT é o mesmo para os judeus e os evangélicos.

Canon Do Novo Testamento: Conjunto de 27 livros do NT que a igreja cristã reconhece como genuínos e inspirados. O cânon do NT é igual para evangélicos e católicos

Livros Apócrifos: Os livros apócrifos são uma série de livros, escritos aproximadamente entre 400 A.D e o tempo de Cristo. (Assírios, Gregos e Romanos) Etimologicamente, o termo “apócrifo” significa: “oculto”, “escondido”. Para os protestantes “apócrifo” designa o conjunto de livros ou porções de livros que não faziam parte do cânon (lista de livros inspirados) hebraico; Para os católicos “Apócrifo” se refere aos livros que os estudiosos protestantes chamam de pseudo-epígrafos. Os livros que os protestantes chamam de “apócrifos”, os católicos chamam de “Deutero- canônicos”. Para os protestantes, os livros apócrifos não foram inspirados por Deus. São importantes fontes documentais para o conhecimento da história, cultura e religião dos Judeus. É usado para designar os 14 ou 15 livros, ou partes de livros que, em algum tempo, foram colocados entre os livros do Velho e do Novo Testamento. Eles aparecem anexados nas versões Septuaginta e Vulgata Latina. O vocábulo tem sido empregado de forma diferente por católicos e protestantes: Os livros apócrifos aceitos pelos católicos são os seguintes: Tobias, Judite, Sabedoria de Salomão, Eclesiástico ou Sirácida, Baruque, Epístola de Jeremias, Primeiro e Segundo Macabeus e os acréscimos a Ester (Ester Grego) e a Daniel (A Oração de Azarias, A Canção dos Três Jovens e as histórias de Suzana e de Bel e do Dragão.

Conhecimento Geral: A Bíblia dos cristãos protestantes e o Tanakh judaico incluem apenas 39 livros, enquanto a Igreja Católica possui 46 e a Igreja Ortodoxa aceita 51.

História Das Traduções: Hoje é possível encontrar a Bíblia, completa ou em porções, em mais de 2.000 línguas diferentes. Existem cerca de 2000 línguas e dialetos no mundo. A Bíblia inteira ou porções dEla foram traduzidas para aproximadamente 1200 A Bíblia contém 3.566.480 letras. Para lermos todo o Antigo Testamento gastaríamos em média 39 horas e para ler o Novo Testamento, 11 horas. Então, a leitura de toda a Bíblia demora por volta de 50 horas. Em uma leitura em voz alta, em velocidade normal, levaríamos 70 horas e 40 minutos para lermos toda a Bíblia. Lendo 4 capítulos por dia, ao final de 1 ano você concluirá toda a sua leitura. As primeiras escrituras impressas: Na Alemanha, em meados do Século 15, um ourives chamado Johannes Gutemberg desenvolveu a arte de fundir tipos metálicos móveis. O primeiro livro de grande porte produzido por sua prensa foi a Bíblia em latim. Esta nova arte foi utilizada para imprimir Bíblias em seis línguas antes de 1500 - alemão, italiano, francês, tcheco, holandês e catalão; e em outras seis línguas até meados do século 16 - espanhol, dinamarquês, inglês, sueco, húngaro, islandês, polonês e finlandês.

Nomes conhecidos da Bíblia:

•Escritura(Mt.21:42); Mt 21.42 Disse-lhes Jesus: Nunca lestes nas Escrituras: A pedra que os edificadores rejeitaram, essa foi posta como pedra angular; pelo Senhor foi feito isso, e é maravilhoso aos nossos olhos?

•Sagrada escritura (Rm.1:2); Rm 1.2 que ele antes havia prometido pelos seus profetas nas santas Escrituras,

•Livro do Senhor (Is.34:16); Is 34.16 Buscai no livro do Senhor, e lede: nenhuma destas criaturas faltará, nenhuma será privada do seu companheiro; porque é a boca dele que o ordenou, e é o seu espírito que os ajuntou.

•Palavra de Deus (Mc.7:13; Hb.4:12); Mc 7.13 invalidando assim a palavra de Deus pela vossa tradição que vós transmitistes; também muitas outras coisas semelhantes fazeis. Hb 4.12 Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão de alma e espírito, e de juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.

•Oráculo (Rm.3:2); Rm 3.2 Muita, em todo sentido; primeiramente, porque lhe foram confiados os oráculos de Deus. Significado de oráculo Segundo o dicionário: a verdadeira revelação divina; a palavra de Deus e de seus profetas

Como mencionar seus livros corretamente:

Regra básica: Exemplo: João 3:16-17 Nome do Livro: Evangelho de João; Nº Capítulo: Capítulo 1º, Nº Verso inicial e Verso final: Versículo 1º ao 3º,

A Bíblia, por ser um livro que estabelece condutas e parâmetros de vida, possui características especificas:

Propósitos (Ler para que?):

* Dar respostas aos questionamentos (1 Pe.3:15) 1Pe 3.15 antes santificai em vossos corações a Cristo como Senhor; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a todo aquele que vos pedir a razão da esperança que há em vós;

* Aprovar o obreiro (2 Tm.2:15) 2Tm 2.15 Procura apresentar-te diante de Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.

* Dar fé (Is.34:16) Is 34.16 Buscai no livro do Senhor, e lede: nenhuma destas criaturas faltará, nenhuma será privada do seu companheiro; porque é a boca dele que o ordenou, e é o seu espírito que os ajuntou. Porque vivemos por fé, e não pelo que vemos. (2 Coríntios: 5.7)

* Dar Luz (Sl.119:130) Sl 119.130 A exposição das tuas palavras dá luz; dá entendimento aos simples.

* Ter esperança em Cristo Fé e conhecimento que se fundamentam na esperança da vida eterna, a qual o Deus que não mente prometeu antes dos tempos eternos. Tito: 1.2

Importância (Por que ler?):

* Manual do ser humano (1Pe.2.9; Ef.2:10) 1Pe 2.9 Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as grandezas daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; Ef 2.10 Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus antes preparou para que andássemos nelas.

* Alimento(Mt.4:4:Jr.15:16) Mt 4.4 Mas Jesus lhe respondeu: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus. Jr 15.16 Acharam-se as tuas palavras, e eu as comi; e as tuas palavras eram para mim o gozo e alegria do meu coração; pois levo o teu nome, ó Senhor Deus dos exércitos.

* Espírito Santo usa (Ef.6:17) – tanto na vida diária como nas pelejas. Ef 6.17 Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus;

* Ela enriquece (SI.119:72). Sl 119.72 Melhor é para mim a lei da tua boca do que milhares de ouro e prata.

Maneiras (Como Ler?):

* Com Deus (Tg.1:5) – pedindo a Deus direcionamento Tg 1.5 Ora, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e não censura, e ser-lhe-á dada.

* Diária (Dt.17:19) Dt 17.19 E o terá consigo, e nele lerá todos os dias da sua vida, para que aprenda a temer ao Senhor seu Deus, e a guardar todas as palavras desta lei, e estes estatutos, a fim de os cumprir;

* Vontade (Tg.1:21) de aprender e aceitar suas orientações Tg 1.21 Pelo que, despojando-vos de toda sorte de imundícia e de todo vestígio do mal, recebei com mansidão a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar as vossas almas.

* Oração (SI.119:12; Dn.9:21) – aplicar o conhecimento da Bíblia em oração Sl 119.12 Bendito és tu, ó Senhor; ensina-me os teus estatutos. Dn 9.21 sim enquanto estava eu ainda falando na oração, o anjo Gabriel, que eu tinha visto na minha visão ao princípio, veio voando rapidamente, e tocou-me à hora da oblação da tarde.

* Toda (2 Tm.3:16) 2Tm 3.16 Toda Escritura é divinamente inspirada e proveitosa para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça;


ANTIGO TESTAMENTO: O Velho Testamento começa com a criação de Adão e Eva, o primeiro homem e a primeira mulher. Ele então conta brevemente a história da posteridade de Adão e Eva, até a época de Noé, quando um grande dilúvio destruiu todas as pessoas e animais, com exceção de Noé, sua família e os animais que estavam na arca. Depois de contar a história de Noé, o Velho Testamento relata brevemente os eventos que antecederam a vida de Abraão, que fez convênios (promessas sagradas) com Deus e recebeu promessas especiais de Deus a respeito de sua posteridade. As promessas que Deus fez a Abraão são chamadas de “Convênio Abraâmico”. O convênio abraâmico continuou com o filho de Abraão, Isaque, e seu neto Jacó, cujo nome o Senhor trocou para Israel. O Velho Testamento, portanto, relata o relacionamento de Deus com Seu povo do convênio, os descendentes de Jacó, que são chamados de “casa de Israel” ou “filhos de Israel”. Veja o “Índice dos livros da Bíblia” no início de sua Bíblia. Quando o Velho Testamento foi compilado, seus livros não foram colocados em ordem cronológica. Seria bom marcar seu sumário para que se lembre dos diferentes tipos de escritos que existem no Velho Testamento. Por exemplo: Escreva os quatro títulos a seguir ao lado dos livros a que se referem em seu sumário.

1. A Lei. Os livros de Gênesis a Deuteronômio frequentemente são chamados de “a lei”. Como foi Moisés que os escreveu, eles muitas vezes são chamados de “os cinco livros de Moisés”. Gênesis começa com a Criação do mundo e de Adão e Eva, e Deuteronômio termina com o fim da vida de Moisés. Esses cinco livros contam a respeito dos convênios que Deus fez com os homens e os mandamentos que os homens precisam viver como parte do convênio. 2. A História. Os livros de Josué a Ester contam a história dos filhos de Israel por um período de mais de seiscentos anos depois de Moisés. Esses livros são geralmente chamados de “a história”. Encontram-se, de modo geral, em ordem cronológia; mas I e II Crônicas são essencialmente a versão de outro autor da mesma história contida em I e II Reis. 3. Livros Poéticos. Os livros de Jó a Eclesiastes estão cheios de ensinamentos e revelações que foram escritos em forma poética; portanto, essa seção é conhecida como “Livros Poéticos”. Cantares de Salomão também está incluído entre os Livros Poéticos, O livro de Salmos contém a letra de hinos sacros daquela época. 4. Os Profetas. Os livros de Isaías a Malaquias contêm os ensinamentos de diversos profetas do período em que os filhos de Israel tinham reis. Eles não se encontram em ordem cronológica. Não sabemos o motivo pelo qual se encontram na ordem em que estão.

ANTIGO TESTAMENTO: O Velho Testamento começa com a criação de Adão e Eva, o primeiro homem e a primeira mulher. Ele então conta brevemente a história da posteridade de Adão e Eva, até a época de Noé, quando um grande dilúvio destruiu todas as pessoas e animais, com exceção de Noé, sua família e os animais que estavam na arca. Depois de contar a história de Noé, o Velho Testamento relata brevemente os eventos que antecederam a vida de Abraão, que fez convênios (promessas sagradas) com Deus e recebeu promessas especiais de Deus a respeito de sua posteridade. As promessas que Deus fez a Abraão são chamadas de “Convênio Abraâmico”. O convênio abraâmico continuou com o filho de Abraão, Isaque, e seu neto Jacó, cujo nome o Senhor trocou para Israel. O Velho Testamento, portanto, relata o relacionamento de Deus com Seu povo do convênio, os descendentes de Jacó, que são chamados de “casa de Israel” ou “filhos de Israel”. Veja o “Índice dos livros da Bíblia” no início de sua Bíblia.Quando o Velho Testamento foi compilado, seus livros não foram colocados em ordem cronológica. Seria bom marcar seu sumário para que se lembre dos diferentes tipos de escritos que existem no Velho Testamento. Por exemplo: Escreva os quatro títulos a seguir ao lado dos livros a que se referem em seu sumário. 1. A Lei. Os livros de Gênesis a Deuteronômio frequentemente são chamados de “a lei”. Como foi Moisés que os escreveu, eles muitas vezes são chamados de “os cinco livros de Moisés”. Gênesis começa com a Criação do mundo e de Adão e Eva, e Deuteronômio termina com o fim da vida de Moisés. Esses cinco livros contam a respeito dos convênios que Deus fez com os homens e os mandamentos que os homens precisam viver como parte do convênio.2. A História. Os livros de Josué a Ester contam a história dos filhos de Israel por um período de mais de seiscentos anos depois de Moisés. Esses livros são geralmente chamados de “a história”. Encontram-se, de modo geral, em ordem cronológia; mas I e II Crônicas são essencialmente a versão de outro autor da mesma história contida em I e II Reis.3. Livros Poéticos. Os livros de Jó a Eclesiastes estão cheios de ensinamentos e revelações que foram escritos em forma poética; portanto, essa seção é conhecida como “Livros Poéticos”. Cantares de Salomão também está incluído entre os Livros Poéticos, O livro de Salmos contém a letra de hinos sacros daquela época.4. Os Profetas. Os livros de Isaías a Malaquias contêm os ensinamentos de diversos profetas do período em que os filhos de Israel tinham reis. Eles não se encontram em ordem cronológica. Não sabemos o motivo pelo qual se encontram na ordem em que estão.

DIVISÃO DO ANTIGO TESTAMENTO: (PREPARAÇÃO) - ORDEM NUMÉRICA DESCRITA- NÃO CRONOLOGICA O Antigo Testamento pode ser dividido de várias maneiras. Em nossas Bíblias é dividido em 39 livros. Esta divisão vem da Septuaginta, através da Vulgata Latina. A Septuaginta foi a primeira tradução das Escrituras (só o AT), feita do hebraico para o grego, cerca de 285 a.C em Alexandria no Egito. Nas Bíblias de edição católica romana, o AT possui 46 livros. São os 39 livros da nossa Bíblia e mais sete livros, sem contar os acréscimos em Ester e Daniel.


A) LEI – PENTATEUCO: FUNDAMENTO DA CHEGADA DE CRISTO: Pentateuco: Palavra grega que significa 5 livros - Penta = Cinco Teuco = rolo, livro

São os primeiros livros da Bíblia. Na Bíblia hebraica (judaica) o Pentateuco é chamado de “a Lei Torá”, porque é o fundamento da religião judaica. É o livro canônico (a Lei) dos judeus. Mostra a Revelação gradativa de Deus aos homens. Deus se revelando aos patriarcas, libertando seu povo da escravidão, alimentando seu povo, conduzindo-o e criando leis. Fala do período de tempo: da Criação até Josué; ou do Jardim do Éden até a Entrada na terra prometida do povo de Deus (desta banda do Jordão, Josué 1:14), 4000 – 1460 a. C. Criação a Abraão 4000 – 2000 a. C. (Gênesis 1-11). Abraão a Moisés 2000 – 1500 a. C. (Gênesis 12-50). O Êxodo (a saída do Egito) 1500 – 1460 (Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio).

•1°-GÊNESIS (Gn.) O livro de Gênesis é o primeiro dos cinco livros escritos por Moisés. Ele cobre aproximadamente vinte e cinco mil anos de história—mais do que todo o restante da Bíblia, inclusive o Novo Testamento! Muitas das histórias mais famosas da Bíblia se encontram em Gênesis, como a Queda de Adão e Eva, Caim mata Abel, Noé e o Dilúvio, a construção da Torre de Babel, Abraão quase oferece seu filho Isaque em sacrifício, e José é vendido para o Egito. - Autoria: Moisés. A data de sua autoria é provavelmente entre 1521-1500 a. C, entre o tempo quando Moisés conduziu os israelitas para fora do Egito e a sua morte. Tema: Começo, nascimento. Fala do surgimento do mundo, da história e do povo de Deus. Mensagem: O livro de Gênesis tem sido por vezes chamado de “semente-enredo” de toda a Bíblia. A maioria das principais doutrinas da Bíblia é introduzida de forma “semente” no livro de Gênesis. Junto com a Queda do homem, a promessa de Deus de salvação ou redenção é registrada (Gênesis 3:15). As doutrinas da criação, imputação do pecado, justificação, expiação, depravação, ira, graça, soberania, responsabilidade e muitas outras são abordadas neste livro de origens chamado Gênesis.

•2°-EXODO (Ex.) O livro de Êxodo destaca a aflição pela qual o povo hebreu passou no Egito por 430 anos. O povo escolhido do Senhor foi cruelmente oprimido por Faraó. Porém, Deus Jamais se esquece das suas promessas. Ele vela por sua Palavra. Diante das atrocidades cometidas por Faraó, os israelitas clamaram a Deus. O Senhor ouviu a aflição do seu povo e enviou um libertador para redimi-los. Veremos ao longo do estudo que o livro de Êxodo é a livro da redenção efetuada pelo Senhor O vocábulo êxodo significa saída. O livro de Êxodo foi escrito por Moisés e, segundo a Bíblia de Estudo Pentecostal, foi “escrito para que tivéssemos um registro permanente dos atos históricos e redentores de Deus, pelos quais Israel foi liberto do Egito”. Este livro figura a redenção. Segundo o Dicionário Wycliffe, “o conceito de libertação da morte, da escravidão e da Idolatria é encontrado ao longo de todo o livro”. -Autoria: Moisés, escrito entre 1490 a.C. significa saída. - Tema: Libertação/Promessa; Jesus, o Cordeiro Pascal. Fala da libertação do Egito, a entrega da Lei, a Revelação de Deus (no Maná, nos 10 mandamentos e no Tabernáculo). - Propósito: A palavra “êxodo” significa partida. No tempo definido por Deus, o êxodo dos israelitas do Egito marcou o fim de um período de opressão para os descendentes de Abraão (Gênesis 15:13), e o início do cumprimento da promessa da aliança com Abraão que seus descendentes não só viveriam na Terra Prometida, mas também se multiplicariam e se tornariam uma grande nação (Gênesis 12:1-3, 7). O objetivo desse livro pode ser definido como delinear o crescimento rápido dos descendentes de Jacó, do Egito ao estabelecimento da nação teocrática em sua Terra Prometida.

•3°-LEVÍTICO (Lv.) O nome Levítico é herança do título do mesmo livro na Septuaginta (Antigo Testamento traduzido para o grego) e quer dizer levitas. Os levitas eram os descendentes de Levi, filho de Jacó e Lia, que foram separados por Deus para o cuidado com trabalho religioso (culto) da nação de Israel. Existe muita confusão em relação aos levitas e ao sacerdócio. O sacerdócio foi incumbido a Arão e seus descendentes e não a todos os levitas. A confusão se dá porque Arão é descendente de Levi, mas isto não inclui os seus irmãos levitas na herança do sacerdócio. O interessante é observarmos o nome hebraico do livro de Levítico. Em todo Pentateuco, os israelitas colocavam como nome do livro as primeiras palavras do mesmo. No caso de Levítico é “chamou o Senhor”. E é impressionante a riqueza de entendimento que podemos ter apenas observando o nome em hebraico. Levítico é a chamada do Senhor para a santidade, serviço e adoração, base de qualquer relacionamento com Deus. O senhor chama para a santidade que só provem Dele (Lv 11.44-45) - Autoria: é Moisés, escrito entre 1489 a.C. Significa leis. - tema: Fala da exigência dos deveres sacerdotais, sobre a santidade de Deus, revela o pecado e a provisão de acesso a Deus. - Propósito: Porque os israelitas haviam sido mantidos em cativeiro no Egito durante 400 anos, o conceito de Deus tinha sido distorcido pelos egípcios pagãos e politeístas. O objetivo de Levítico é fornecer instruções e leis para orientar um povo pecador, mas redimido, em seu relacionamento com um Deus santo. Há uma ênfase em Levítico na necessidade de santidade pessoal em resposta a um Deus santo. O pecado deve ser expiado através da oferta de sacrifícios próprios (capítulos 8-10). Outros temas abordados no livro são dietas (alimentos puros e impuros), o parto e doenças que são cuidadosamente regulamentadas (capítulos 11-15). O capítulo 16 descreve o Dia da Expiação, neste dia um sacrifício anual é feito pelo pecado cumulativo de todas as pessoas. Além disso, o povo de Deus deve ser discreto na sua vida pessoal, moral e social, em contraste com as práticas atuais e pagãs ao seu redor (capítulos 17-22).

•4°-NÚMEROS (Nm.) Porque o nome Números? Porque este livro dá duas vezes que o povo de Israel foi numerado ou contado. Em 1:2-3 Deus mandou tomar a soma dos homens de 20 anos para cima que podia sair à guerra. Porque foi contado? Porque iam entrar em Canaã para conquistar a terra. A primeira vez a soma deu 603.550 homens (1:46). Deus mandou tomar a soma a segunda vez em 26:2. Esta vez deu a soma de 601.730 (26:51). A segunda vez deu menos do que a primeira vez. A primeira vez foi da geração velha que saiu do Egito e morreu no deserto, a segunda vez foi da geração nova que entrou na terra de Canaã. Notou que a soma da segunda vez deu menos do que a da primeira vez? Isto mostra o resultado de não obedecer e seguir o Senhor. Este livro dá a história de Israel depois de sair do Egito e os anos que gastou no deserto de Parã por causa da sua incredulidade e infidelidade. Este livro começa contar a história de Israel um ano e um mês depois da saída do Egito. Veja Êx. 12:2, 40:2 e 17, Nú. 1:1. Então, o livro de Números aconteceu durante 38 anos e uns meses. Dt. 1:3 diz que foi 40 anos desde a saída do Egito até a entrada na terra de Canaã. Veja também o que diz em Jos. 4:19; que entraram em Canaã no primeiro mês do quadragésimo primeiro ano depois da saída do Egito. -Autoria: Moisés, entre 1451 a.C. Significa no deserto. Segundo a tradição hebraica.- tema: Fala da Fé x Promessas. O tema é Jesus, a Rocha Ferida. Fala da peregrinação do povo rumo à terra prometida, lembrando a seriedade do pecado. É o serviço e o andar do povo de Deus. Nisto podemos ver a severidade e bondade de Deus. Na geração velha (que saiu do Egito) vemos a severidade de Deus, a justiça de Deus e a inflexibilidade da Palavra de Deus. Porque o povo não obedeceu Deus e sua Palavra, e por isso sofreu a correção severa de Deus. Esta geração toda (menos Josué e Calabe) morreu no deserto por causa da sua incredulidade e infidelidade. Na geração nova (que nasceu no deserto e de 20 anos para baixo) vemos a bondade de Deus e a fidelidade infalível de Deus em cumprir a sua promessa e propósito ao seu povo para dar a terra prometida a eles. Veja I Cor. 10: 1-12. Alguém sugeriu o versículo chave 10:29: “Nós caminhamos para aquele lugar, de que o Senhor disse: Vô-lo darei”. - Propósito: A mensagem do Livro dos Números é universal e eterna. Ela relembra aos crentes da guerra espiritual na qual estão engajados, pois números é o livro do serviço e caminhar do povo de Deus. O Livro de Números essencialmente preenche a lacuna entre os israelitas recebendo a Lei (Êxodo e Levítico) e a sua preparação para entrar na Terra Prometida (Deuteronômio e Josué).

•5°-DEUTERONÔMIO (Dt.) A palavra “Deuteronômio” significa “segunda lei”, ou “repetição da Lei” devido ao fato de registrar a repetição das leis dadas no Sinai. Este título surgiu na Septuaginta grega e na Vulgata Latina. O nome hebraico do livro é devarim (palavras, v. 1.1). A tradição judia chama o livro de Mishneh Torá, cópia da lei, com base na tradução de Dt 17.18. Porém o livro não contém apenas cópia da Lei já promulgada, também dá conta das circunstâncias peculiares em que foi recebida e o propósito especial a que se destinava. Literariamente o livro de Deuteronômio é uma coletânea de discursos. São os discursos de despedida de Moisés; somente nos capítulos 31 e 34 há discursos de Deus. Moisés estava com aproximadamente 120 anos, estando bem próximo da Terra Prometida. Ele traz lembranças ao povo de como Deus os tirou da escravidão no Egito e os guiou pelo deserto para receber a lei de Deus no monte Sinai. Entretanto, por causa da desobediência de Israel em se recusar a entrar na Terra Prometida, eles perambularam sem destino no deserto por quase quarenta anos. Agora acampados na fronteira oriental de Canaã, no vale defronte de Bete-Peor, na região montanhosa de Moabe, de vista para Jericó e a planície do Jordão, Moisés reuniu o povo para lembrá-los da fidelidade do Senhor e para encorajá-los a serem fiéis e obedientes ao seu Deus quando estivesse de posse de Canaã. -Autoria: é Moisés. O ano era 1451 a.C. significado lei. - Tema: Fala do Governo de Deus. O tema é Jesus, o Profeta. Fala da constituição da teocracia de Israel, aborda sobre as bênçãos e maldições, os 10 mandamentos e os falsos profetas. O tema de Deuteronômio é a Fidelidade de Deus e a Obediência do homem. Leia os versículos seguintes: 5:29, 6:4-5, 10:12, 11:26-28, 28:1. Estes versículos falam da mesma coisa; Deus é fiel e o povo dele deve dar uma obediência a ele em tudo. “Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é único Senhor. Amarás, pois, o Senhor teu Deus de todo o coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças”, 6:4-5. - Propósito: Uma nova geração de israelitas estava prestes a entrar na Terra Prometida. Esta multidão não havia experimentado do milagre no Mar Vermelho ou escutado a Lei sendo dada no Sinai, e eles estavam prestes a entrar numa nova terra com muitos perigos e tentações. O livro de Deuteronômio foi dado para lembrá-los da Lei de Deus e do Seu poder.


B) HISTÓRIA (12 LIVROS): HISTÓRICOS. PREPARAÇÃO PARA A CHEGADA DE CRISTO:

Nos livros históricos (ou profetas anteriores) encontramos a história do povo de Deus, desde a entrada na terra prometida até próximo a época de Jesus. Mostra-nos as relações entre Deus e os homens, através dos acontecimentos.

Podemos dividir em três grupos: a. História deuteronomista: Josué, Juízes, Samuel, Reis - relatam a história do povo de Israel desde a conquista da Palestina até o exílio na Babilônia (586 a.C.); b. História do cronista: Crônicas 1 e 2, Esdras e Neemias - retomam essa mesma história sob pontos de vista particulares desde o reino de Davi (as idades precedentes, desde as origens do homem, estão, como que resumidas, no princípio 1Crôn 1-9 em tábuas genealógicas) até à formação da sociedade judaica depois do retorno do exílio (cerca de 430 a.C.); c. História de Pessoas como modelos de fé: Macabeus, Rute, Tobias, Judite, Ester - os livros de Tobias, Judite e Ester ilustram alguns episódios notáveis dos últimos séculos (VII-V a.C.), nos dois livros dos Macabeus narra-se a resistência dos judeus contra o jugo dos selêucidas e a reconquista da soberania política (séc. II a.C.).

•6°-Josué(Js.) -Autoria: Josué, escrito 1424 a.C. - Tema: Fala de Fidelidade e Herança. O tema é Jesus, o Capitão dos Exércitos do Senhor. Significa Javé é salvação. Fala da fidelidade divina em conceder Canaã a Israel, a importância da Lei e da Santidade de Deus ao julgar os pecados dos cananeus. - Propósito: O livro de Josué fornece uma visão geral das campanhas militares para conquistar a área de terra que Deus havia prometido. Seguindo o êxodo do Egito e os quarenta anos subsequentes de peregrinação no deserto, a nação recém-formada está agora pronta para entrar na Terra Prometida, conquistar seus habitantes e ocupar o território. A visão que temos aqui nos dá detalhes abreviados e seletivos de muitas das batalhas e das condições nas quais a terra não apenas foi conquistada, mas também dividida em áreas tribais.

•7°-Juízes(Jz.) - Autoria: anônimo, segundo a tradição é considerado o profeta Samuel seu escritor, provavelmente escrito 1126 a.C. - tema: Fala de Obediência e da Paz. O tema é Jesus, Libertador. Significa governante Fala da conquista da palestina, monarquia, fidelidade e perdão de Deus. - Propósito: O livro de Juízes pode ser dividido em duas seções: 1) Capítulos 1-16 narram as guerras de libertação que começam com a derrota dos cananeus e terminam com a derrota dos filisteus e a morte de Sansão; 2) Capítulos 17-21 são conhecidos como um apêndice e não se referem aos capítulos anteriores. Esses capítulos são enxergados como um tempo quando “não havia rei em Israel” (Juízes 17:6; 18:1, 19:1, 21:25). O Livro de Rute era originalmente uma parte do Livro dos Juízes, mas em 450 DC foi removido para tornar-se um livro próprio.

•8°-Rute(Rt.) -Autoria: desconhecido, segundo a tradição, profeta Samuel, em 1050 a.C. significa amizade. -tema: Jesus, o Parente Divino. Fala de fé para todas as pessoas, de fidelidade em meio à idolatria e infidelidade, soberania e cuidado de Deus (Resgatador). - Propósito: O Livro de Rute foi escrito para os israelitas e ele ensina que o amor verdadeiro pode às vezes exigir um sacrifício intransigente. Independentemente do que a vida nos traga, podemos viver de acordo com os preceitos de Deus. Genuíno amor e bondade serão recompensados. Deus abençoa abundantemente aqueles que procuram viver uma vida obediente. Vida obediente não permite "acidentes" no plano de Deus. Deus estende misericórdia aos misericordiosos.

•9°-1 Samuel (1Sm.) -Autoria: é Samuel, entre 1050 a.C. -tema: Fala de Pecado x Santidade. Fala sobre Samuel, Saul e Davi e os efeitos do pecado e santidade no povo e líderes. Tematiza o “chamado ao avivamento - Propósito: Primeiro Samuel registra a história de Israel na terra de Canaã à medida que passam pela transição do governo dos juízes a uma nação unificada sob reis. Samuel emerge como juiz e unge os dois primeiros reis, Saul e Davi.

•10° - 2 Samuel (2 Sm.) -tema: Na Bíblia hebraica é a segunda parte de 1 Samuel. Fala da morte de Saul e aliança com Davi. Tematiza a “ascensão/queda” -Autoria: Samuel, escrito 1018 a.C. -Propósito: 2 Samuel é o registro do reinado do Rei Davi. Este livro coloca a aliança davídica no seu contexto histórico.

•11°-1 Reis (1 Rs.) - Autoria: é Jeremias, foi escrito entre 560 e 540 AC. -Tema: Fala de Fidelidade x Sabedoria. Desde Salomão ao Cativeiro Babilônico. Descreve o templo até Elias. Tematiza a “história dos reinos de Judá e Israel” - Propósito: Este livro é a continuação de 1 e 2 Samuel e começa traçando a ascensão de Salomão ao trono após a morte de Davi. A história começa com um reino unido, mas termina em uma nação dividida em dois reinos conhecidos como Judá e Israel. 1 e 2 Reis são combinados em um único livro na Bíblia hebraica. Rápida explanação sobre os Reinos. - Reino do Sul ou Judá: com as tribos de Judá e Benjamim: 931-586 a. C; O Reino do Sul chamado Reino de Judá ficou com o outro filho de Salomão Roboão tendo capital Jerusalém. - Reino do Norte ou Israel: com as tribos de Rubem, Simeão, Dã, Naftali, Gade, Aser, Issacar, Zebulom, Efraim e Manasses: 931- 722 a. C. O Reino do Norte chamado Reino de Israel assumiu Jeroboão filho de Nabat (conforme Bíblia de Jerusalém em Rs 15,1) tendo como capital Samaria.

•12°-2 Reis (2 Rs.) - Autor: A tradição é que ele foi escrito pelo profeta Jeremias. Provavelmente escrito entre 560 e 540 AC. - Tema: Na Bíblia hebraica, é parte de 1 Reis. Descreve o cativeiro babilônico até Eliseu. Tematiza o “DECLÍNIO/CATIVEIRO” - Propósito: O Livro de 2 Reis é uma continuação do livro de 1 Reis. Ele continua a história dos reis durante o reino dividido (Israel e Judá). O Livro de 2 Reis termina com a derrota final e deportação do povo de Israel e Judá para Assíria e Babilônia, respectivamente.

•13°-1 Crônicas (1 Cr.) -Autoria: é Esdras, escrito em 457 AC. - Tema: Fala de Aliança, oração de louvor e genealogia. Em Reis e Crônicas, Jesus é o Rei Prometido. Significa negócios Declara aliança, oração e louvor de Davi. (Herança, bênção e pacto). - Propósito: Os livros de 1 e 2 Crônicas abrangem praticamente as mesmas informações que 1 e 2 Samuel e 1 e 2 Reis. 1 e 2 Crônicas se focalizam mais no aspecto sacerdotal da época. O livro de 1 Crônicas foi escrito depois do exílio para ajudar aqueles que estavam retornando a Israel a compreender como adorar a Deus. A história se concentrava no Reino do Sul - as tribos de Judá e Benjamin. Essas tribos tinham a tendência de serem mais fiéis a Deus.

•14°-2 Crônicas (2Cr.) -Autoria: Esdras, provavelmente escrito entre 450 e 425 AC. -tema: Na Bíblia Hebraica é parte do 1 Crônicas. Fala de Salomão a Zedequias e a permissão para construir o Templo. Inclui a oração de Salomão pedindo sabedoria, até a duração do Cativeiro. Fala de cativeiro/templo. - Propósito: Os livros de 1 e 2 Crônicas abrangem praticamente as mesmas informações que 1 e 2 Samuel e 1 e 2 Reis. 1 e 2 Crônicas se focalizam mais no aspecto sacerdotal da época. O livro de 2 Crônicas é praticamente uma avaliação da história religiosa daquela nação.

•15°-Esdras (Ed.) - Autoria: Esdras, entre 460 a 440 a.C. - tema: Esdras era sacerdote e escriba que trabalhou com Neemias na volta do povo de Israel da Babilônia e na restauração do culto a Javé na Terra Prometida. -Fala do cumprimento das promessas de restauração. Significa ajuda - Propósito: O Livro de Esdras dedica-se a eventos que ocorreram na terra de Israel na época do retorno do cativeiro babilônico e nos anos seguintes, cobrindo um período de aproximadamente um século que começou em 538 AC. A ênfase em Esdras é na reconstrução do Templo. O livro contém registros genealógicos extensos, principalmente com o objetivo de estabelecer as reivindicações ao sacerdócio por parte dos descendentes de Arão.

•16° Neemias (Ne) -Autoria: Neemias, entre 445 a 420 a.C. - Tema: Fala de Restauração. Completa história de restauração do povo que voltou da Babilônia, sob a liderança de Esdras: marca início das 07 semanas de Daniel. Significa” javé conforta”.- Propósito: O livro de Neemias, um dos livros de história da Bíblia, continua a história do regresso de Israel do cativeiro babilônico e da reconstrução do templo em Jerusalém.

•17°-Ester (Et)- -Autoria: é incerto, segundo a tradição: foi Mordecai (um personagem importante no livro de Ester também conhecido por Mardoqueu), Esdras e Neemias (que teria bom conhecimento dos costumes persas), entre 460 a 350 a.C – segundo a escola moderna. -tema: Fala da Soberania x Providência. Jesus é o Advogado. Significa estrela - Propósito: A finalidade do Livro de Ester é mostrar a providência de Deus, especialmente no que diz respeito ao seu povo escolhido, Israel. O Livro de Ester registra a instituição da Festa de Purim e a obrigação de sua observação permanente. Esse Livro era lido durante essa festa para comemorar a grande libertação da nação judaica causada por Deus através de Ester. Os judeus ainda hoje leem Ester durante Purim. O que é Purin? A Festa de Purim é celebrada todo ano em 14 e 15 de Adar (2011 – 20 e 21 de março). Comemora a salvação do povo judeu na antiga Pérsia da trama de Haman “para destruir, matar e aniquilar todos os judeus, jovens e velhos, crianças e mulheres, num único dia.” O império persa do 4º século AEC abrangia mais de 127 países, e todos os judeus eram seus súditos. Quando o Rei Achashverosh (assuero) mandou executar sua esposa, a Rainha Vashti, por recusar-se a cumprir suas ordens, ele organizou um desfile de beleza para encontrar uma nova rainha. Uma moça judia, Esther, foi a escolhida e tornou-se a nova rainha – embora ela se recusasse a divulgar qual era sua nacionalidade. Nesse interim, o antissemita Haman foi nomeado primeiro ministro do império. Mordechai, o líder dos judeus (e primo de Esther), desafiou as ordens do rei e se recusou a inclinar-se perante Haman. Haman ficou ofendido e convenceu o rei a emitir um decreto ordenando o extermínio de todos os judeus em 13 de Adar – data escolhida por um sorteio feito por Haman. Mordechai reuniu todos os judeus, convencendo-os a se arrepender, jejuar e orar a Deus. Enquanto isso, Esther pediu ao rei e a Haman que fossem com ela a um banquete. Esther revelou ao rei sua identidade judaica. Haman foi enforcado, Mordechai foi nomeado primeiro ministro no lugar dele, e foi emitido um novo decreto – concedendo aos judeus o direito de se defenderem contra seus inimigos. Em 13 de Adar os judeus se mobilizaram e mataram muitos dos seus inimigos. Em 14 de Adar eles descansaram e celebraram.


c) POESIA (05 LIVROS): POÉTICOS: ANELO PELA CHEGADA DE CRISTO:

Livros poéticos e sapienciais do Antigo Testamento são: Jó, Salmos, Provérbios, Eclesiastes, Cântico dos Cânticos, (Sabedoria e Ben Sirac ou Eclesiástico). Foram escritos, em sua maioria, em linguagem poética, fazendo uso de metáforas, e têm um caráter de ensinamento para alcançar a sabedoria. Eclesiástico e Sabedoria são deuterocanônicos e por isso não constam na Bíblia protestante, embora estejam presentes na Bíblia católica. Esses livros apresentam a sabedoria e a espiritualidade do povo de Israel. Este grupo de livros, na maior parte do seu conteúdo, pertencem à Idade de Ouro da história dos hebreus, a era de Davi e Salomão

18°-Jó (Jó) -Autoria: incerto. Segundo a tradição: Os candidatos mais prováveis são Jó, Eliú, Moisés e Salomão. A própria Escritura atesta que Jó foi uma pessoa real. Ele é citado em (Gên 46.13; Ezeq 14.14, 14.20 e Tiago 5.11). Jó era um gentil. Acredita-se que era descendente de Naor, irmão de Abraão. Conhecia Deus pelo nome de “Shaddai” - o Todo Poderoso. Ele era um homem rico e levava um estilo de vida semi-nômade. Data: Se Moisés foi o autor, a data seria por volta de 1440 AC. Se Salomão foi o autor, a data seria em torno de 950 AC. Escola moderna – 4º século a.C. -Tema: Jesus, o Redentor Vivo. Fala da Soberania x Necessidade. Fala do motivo do sofrimento dos justos, declarando a soberania e propósitos divinos. Significa PERSEGUIDO - Propósito: O Livro de Jó nos ajuda a entender o seguinte: Satanás não pode nos afligir com destruição física e financeira sem a permissão de Deus. Deus tem poder sobre o que Satanás pode e não pode fazer. Isso vai além de nossa capacidade humana de entender o “porquê” por trás de todo o sofrimento no mundo. Os ímpios vão receber o pagamento por suas ações. Nem sempre podemos culpar o nosso sofrimento e pecado em nossos estilos de vida. Sofrimento às vezes pode ser permitido em nossas vidas para purificar, testar, ensinar ou fortalecer a alma. Deus continua a ser suficiente e a merecer e desejar o nosso amor e louvor em todas as circunstâncias da vida.

•19°-Salmos (SI.) -Autoria: Vários autores, 73 de Davi, 2 de Salomão, 12 dos filhos de Coré, 12 de Asafe, 01 de Hemã, 01 de Etã e 01 de Moisés, durante o tempo de Davi a Salomão. Significa” louvor” Data: cerca de 1000 a 400 AC. São diversos os autores dos Salmos, embora sejam conhecidos como Salmos de Davi. A primeira pessoa a escrever um Salmo foi Moisés, em 1450 aC, os autores são: - Davi – 74 salmos atribuídos a ele: 3 a 9, 11 a 32, 34 a 41, 51 a 65, 68 a 70, 86, 101, 103, 108 a 110m 122, 124, 131, 133, 138 a 145. Além desses a LXX atribui a Davi a autoria dos Salmos 10. 33, 67, 77, 91, 93 a 99 e 104. Em Atos 4:25 o Salmo 2 é atribuído a Davi. A Vulgata apoia o Salmo 67 e os manuscritos de Qunram apoiam o Salmo 104; - Salomão – 2 Salmos de sua autoria: 72 e 127; - Asafe – 12 Salmos lhe são atribuídos: 50, 73 a 83. Asafe era um mestre da música (I Cr 6:39) , era vidente (II Cr 29:30) e profeta (I Cr 25:2), no tempo de Davi; - Filhos de Core -11 Salmos: 42, 44 a 49, 84, 85, 87, 88. O Salmo 43 pode ser também de sua autoria, parece ser a continuação do Salmo 42, por seu estilo literário. Os descendentes de Core eram levitas do templo e serviam como porteiros (I Cr 26) e cantores; - Eta-Ezraita – 1 Salmo: 89. Este era sábio (I RS 4:31) e cantor (I Cr 15:19); - Moisés – 1 Salmo: 90; e - Anônimos – 50 Salmos são anônimos. Destes estão incluídos os Salmos de Esdras, Ageu e Zacarias. - Tema: Jesus, o Socorro e Alegria. Em hebraico o nome é “Sefer Tehilin”, que significa “livro dos louvores”. O nome “Salmos” vem da língua grega “Psalmos”. O nome aparece na versão LXX como “Biblos Psalmon” (livro dos Salmos). No NT a palavra “Psalmon” aparece em Lc 24:42 e At 1:20. Os manuscritos gregos de um modo geral trazem o título “Psalmoi”, mas alguns os denominam “Psalterion” (saltério) que quer dizer “coleção de cânticos”. Na Vulgata o livro assume o nome de “Líber Psalmorum”. - Proposito: O Livro dos Salmos é o mais longo livro da Bíblia, com 150 salmos individuais. É também um dos mais diversos, já que os salmos lidam com temas como Deus e Sua criação, guerra, adoração, sabedoria, o pecado e o mal, julgamento, justiça e a vinda do Messias.

•20°-Provérbios (Pv.) -Autores: Salomão, em 900 a.C. -Tema: Fala de Ensinamentos humanos. -O tema é Jesus, a Sabedoria Divina. Significa “COMPARAÇÕES” DIVISÕES DO LIVRO DE PROVÉRBIOS 1. Conselhos para os jovens: capítulos de 1 a 10 2. Conselhos para todos os homens: capítulos de 11 a 20 3. Conselhos para reis e governantes: capítulos de 21 a 30. O livro termina com um dos mais belos capítulos da Bíblia (cap. 31) sobre os direitos da mulher. - Proposito: No Livro de Provérbios, Salomão revela a mente de Deus em assuntos superiores e nobres, assim como em assuntos ordinários e situações cotidianas. Parece que nenhum assunto escapou à atenção do rei Salomão. Questões relativas à conduta pessoal, relações sexuais, negócios, prosperidade, amor, ambição, disciplina, dívidas, educação infantil, caráter, álcool, política, vingança e piedade estão entre os vários temas abordados nesta rica coleção de provérbios.

•21°-Eclesiastes(Ec.) - Autoria: Salomão, em 935 a.C. - Tema: Fala para a Assembleia. O tema é Jesus, Alvo Verdadeiro. Fala da rotina da vida, da compreensão que ela é dom divino e de que devemos viver, obedecendo a Deus. Significa” PREGADOR” Nota da Bíblia King James sobre a autoria de Eclesiastes: “seu estilo sapiencial, exclusivo é incomparável revelado nos mais antigos e reconhecidos manuscritos originais a que o Comitê de tradução da Bíblia King James teve acesso (Fragmentos do sêfer, rolo, livro de Eclesiastes encontrados nas cavernas de Qunram, no Mediterrâneo), confirmam a tradição judaica e cristã em defender a autoria solomônica desta obra”. Eclesiastes tem sido considerado como uma obra apologética, isto é, uma tentativa de defender a fé em Deus através de respostas a argumentos negativos. Com tal peculiaridade, o livro frequentemente parece expressar uma perspectiva secular, argumentando que a vida não tem sentido. Diante de tais argumentos, o escritor chega a conclusão de que a fé em Deus é o único caminho para a realização humana.- Propósito: Eclesiastes é um livro de perspectiva. A narrativa do “Pregador”, ou “Sábio”, revela a depressão que inevitavelmente resulta da procura da felicidade em coisas mundanas. Este livro dá aos Cristãos a oportunidade de ver o mundo através dos olhos de uma pessoa que, apesar de muito sábio, está tentando encontrar sentido em coisas humanas e temporárias. Quase todas as formas de prazer mundano são exploradas pelo Pregador, e nenhuma delas lhe dá sentido algum.

•22°-Cantares(Ct.) - Autoria: é Salomão em 965 a.C. -tema: Fala de Jesus, Nosso Amado. -Significa” CANÇÃO” O Cântico dos Cânticos é considerado uma instrução sobre a celebração da natureza física dos seres humanos criados por Deus. O livro exalta a bondade divina e a virtude do amor sexual entre o homem e a mulher, unidos no matrimônio. O significado de Cântico dos Cânticos é um antídoto bem-vindo contra a perversão sexual e a decadência da instituição do casamento. Cantares louva a perfeição do homem e da mulher e defende a dignidade das afeições humanas e da expressão sexual dentro dos limites divinamente decretados do relacionamento exclusivo entre um homem e uma mulher. Apesar de essa união de homem e mulher perante Deus ser importante para a procriação da humanidade (Gn 1.28), o Cântico indica que a intimidade sexual compartilhada por marido e esposa é adequada para a alegria e prazer mútuo e para enriquecimento e fortalecimento da relação (1Co 7.1-5). - Propósito: O Livro de Cantares de Salomão é um poema lírico escrito para exaltar as virtudes do amor entre um marido e sua esposa. O poema claramente apresenta o casamento como um plano de Deus. Um homem e uma mulher devem viver juntos dentro do contexto do casamento, amando um ao outro espiritualmente, emocionalmente e fisicamente. Este livro combate dois extremos: o ascetismo (a negação de todo o prazer) e hedonismo (busca do prazer somente). O casamento exemplificado em Cantares de Salomão é um modelo de atenção, empenho e prazer.


D) PROFETAS (17 LIVROS): CERTEZA DA CHEGADA DE CRISTO:

Dividido entre profetas maiores e menores.

Quem era o profeta? Profeta não era simplesmente um líder religioso, mas alguém possuído pelo Espírito de Deus. Pelo fato de o Espírito e a Palavra estarem nele, o profeta do Antigo Testamento, possuía três característica: (1) Conhecimentos divinamente revelados - O propósito principal de tais conhecimentos era encorajar o povo a permanecer fiel a Deus e ao seu concerto; (2) Poderes divinamente outorgados -Os profetas eram levados à esfera dos milagres à medida em que recebiam a plenitude do Espírito de Deus; (3) Estilo de vida característico -Na sua maioria, eles tinham abandonado as atividades seculares da vida a fim de viverem para Deus. Os profetas do Antigo Testamento foram homens que Deus levantou, principalmente nos períodos sombrios da história de Israel. O ofício de profeta foi instituído no tempo de Samuel, quando o reino se dividiu; Judá e Israel se estabeleceram como monarquias separadas. O período dos profetas em Israel cobriu quinhentos anos, do nono ao quarto século antes de Cristo. Depois, as vozes dos profetas silenciaram até João Batista - Novo Testamento. De Isaías a Malaquias, no Antigo Testamento, temos os livros proféticos que somam ao todo 17 livros e dividem-se em dois grupos: maiores e menores. São assim chamados, não por causa da sua importância, mas pela quantidade do material escrito. Os cinco livros que compõe os profetas maiores são: Isaías, Jeremias, Lamentações, Ezequiel e Daniel.

Campbell Morgan diz que haviam três elementos na mensagem dos profetas: (1) A mensagem para os seus dias - diretamente de Deus. (2) A mensagem de predição de acontecimentos futuros: o fracasso do povo escolhido de Deus e o juízo de Deus sobre ele e sobre as nações em redor; a vinda do Messias, sua rejeição e sua glória final; e o Reino Messiânico que seria finalmente estabelecido na terra. (3) A mensagem viva para os dias - os princípios eternos do bem e do mal.

Relembrando:- Reino do Sul ou Judá: com as tribos de Judá e Benjamim: 931-586 a. C; O Reino do Sul chamado Reino de Judá ficou com o outro filho de Salomão Roboão tendo capital Jerusalém. - Reino do Norte ou Israel: com as tribos de Rubem, Simeão, Dã, Naftali, Gade, Aser, Issacar, Zebulom, Efraim e Manasses: 931- 722 a. C. O Reino do Norte chamado Reino de Israel assumiu Jeroboão filho de Nabat (conforme Bíblia de Jerusalém em Rs 15,1) tendo como capital Samaria.


PROFETAS MAIORES: (Pela quantidade de Escritos - 05 livros): Jesus é o Messias Prometido

•23°-ISAÍAS (Is.) (O PROFETA DAS PROMESSAS) -Autor: Isaías, em 701 a 681 a.C. seu nome significa Javé salvou Ele foi homem de sangue real, um jovem aristocrata de linhagem nobre. Seu pai, Amós, era o filho mais novo de Joás, rei de Judá. Foi educado na corte e era muito conceituado entre o povo de Israel. Não só era profeta, mas também casou-se com uma profetisa (Is 8:3,18) Profetizou durante os reinados de Uzias, Jotão, Acaz e Ezequias e talvez durante o reinado de Manassés (entre 757 a 697 aC. ) Durante o tempo de Isaías, Deus usou a Assíria para disciplinar o Seu povo. Os assírios ocuparam a região do atual Iraque e Síria. Esse povo exigia dos seus súditos pagamento de tributos e total subserviência. Israel (o reino do Norte) caiu vítima deste mal, enquanto Deus salvou a Judá (o reino do Sul) porque o povo ouviu a mensagem de Isaías e se arrependeu. Deus livrou Judá milagrosamente, destruindo 185 mil homens do exército assírio. – Tema: Fala da Redenção do Messias. Atacou a apostasia. O tema se baseia nas circunstâncias sob as quais o livro foi escrito. Dos capítulos 1 a 39, Judá está sendo ameaçado pela Assíria, e a solução proposta para esse problema pelo profeta é Israel confiar em Deus totalmente para seu livramento e não fazer alianças com outros povos. Nos capítulos restantes o profeta é levado em espírito até o tempo de exílio (150 anos à frente). Ele continua falando para o povo confiar em Deus, pois somente Ele poderia dar libertação física do cativeiro e espiritual por causa do pecado. Fica claro o propósito de Isaías: confrontar a própria nação com a palavra do Senhor, mostrando-lhe seus pecados e as consequências dos seus atos; profetizar esperança à geração futura de exilados, que seriam restaurados; e mostrar que Deus enviaria o Messias, suscitando esperança para o seu povo, tanto do antigo como para o do novo concerto. Isaías, no seu ministério, expôs os pecados do povo e chamou-o ao arrependimento e a se voltarem para Deus. Mas seu tema principal era “Aquele que havia de vir” - Jesus. Ele viu próxima a primeira vinda de Cristo e a segunda vinda, distante. Mas em tudo ele via a Cristo - Propósito: O profeta Isaías foi primeiramente chamado a profetizar ao Reino de Judá. Judá estava passando por tempos de reavivamento e tempos de rebeldia. Judá foi ameaçado de destruição pela Assíria e Egito, mas foi poupado por causa da misericórdia de Deus. Isaías proclamou uma mensagem de arrependimento do pecado e de expectativa esperançosa do livramento de Deus no futuro.

•24°-JEREMIAS (Jr.) (O PROFETA DA CORAGEM) -Autoria: Jeremias, entre 630 a 580 a.C. Significa Javé é elevado Resumindo a vida de Jeremias, certo escritor disse: “Nunca foi imposto sobre um homem mortal fardo mais esmagador. Em toda história da raça judaica, nunca houve semelhante exemplo de intensa sinceridade, sofrimento sem alívio, proclamação destemida da mensagem de Deus e intercessão incansável de um profeta em favor do seu povo como se observa em Jeremias” (Farley). Ministério de Jeremias foi dirigido a Judá (reino do sul), durante os últimos 40 anos de sua história (626 - 586 a.C.) Ele viveu para ser testemunha das invasões babilônicas a Judá, que resultaram na destruição de Jerusalém e do templo. Jeremias foi chamado para ser profeta no décimo-terceiro ano do reinado de Josias. Ele foi contemporâneo da profetisa Hulda, de Habacuque, Sofonias, Ezequiel, Daniel e talvez mesmo de Naum. Era filho de Hilquias, um sacerdote de Anatote na Terra de Benjamim. Mais tarde, foi para Jerusalém por causa de perseguição. Durante os reinados de Josias e Jeoacaz, foi-lhe permitido continuar seu ministério sem dificuldades, mas nos reinados de Jeoaquim, Joaquim e Zedequias, sofreu perseguição severa. No reinado de Joaquim foi aprisionado pela audácia em profetizar a destruição de Jerusalém. No reinado de Zedequias, foi preso como desertor e permaneceu na prisão até a tomada da cidade, época em que foi posto em liberdade por Nabucodonosor que lhe permitiu voltar a Jerusalém. Quando retornou, procurou impedir o povo de ir para o Egito. Porém, recusaram os seus apelos e emigraram para lá, indo Jeremias com eles. No Egito, continuou seus esforços para levar o povo de volta ao Senhor. - Tema: Fala da Advertência ao pecado e promessa de Juízo. - Mensagem: O Livro de Jeremias registra as profecias finais sobre Judá, advertindo-lhe sobre a destruição que se aproxima se a nação não se arrepender. Jeremias clama à nação para que se volte a Deus. Ao mesmo tempo, Jeremias reconhece a inevitabilidade da destruição de Judá devido à sua idolatria e imoralidade impenitente. Tanto Isaías como Jeremias levaram mensagens de condenação ao Israel apóstata. Enquanto que o tom de Isaías é vigoroso e severo, o de Jeremias é moderado e suave. O primeiro leva uma expressão da ira de Jeová contra o pecado de Israel; o último, uma expressão de seu pesar por causa dele. Este livro profético revela que Jeremias, era um homem com uma mensagem severa, mas de coração sensível e quebrantado. Seu espírito sensível tornou mais intenso o seu sofrimento, à medida que a palavra de Deus ia sendo repudiada por seus familiares e amigos, pelos sacerdotes e reis, e pela totalidade do povo de Judá. Sua mensagem nunca foi popular.

•25°-LAMENTAÇÕES (Lm.) O TRISTE POEMA DE JEREMIAS - Autoria: Jeremias em 586-575 a.C. Durante ou logo após a queda de Jerusalém. Seu nome significa Choro em voz alta. - Tema: 05 poemas melancólicos de lamentação pela destruição de Jerusalém pelos Caldeus. O livro lembra o fato do que Jesus sentia por Jerusalém. É um poema que foi escrito por Jeremias logo após a destruição de Jerusalém. É um relato do lamento de Jeremias ao contemplar as ruínas de Jerusalém. Poderia ser chamado também o livro “das lágrimas de Jeremias”, pois é uma referência a seus prantos. Embora este livro seja pouco conhecido pelos cristãos, é muito popular entre os judeus. O Antigo Testamento hebraico o inclui como um dos cinco rolos (juntamente com Rute, Ester, Eclesiastes e Cantares) da terceira parte da Bíblia hebraica. Cada um desses livros era tradicionalmente lido num evento determinado do ano litúrgico judaico. Este lia-se no meado de julho, quando, então, os judeus relembravam a destruição de Jerusalém. Mensagem: Como resultado da idolatria contínua e sem arrependimento de Judá, Deus permitiu que os babilônios assediassem, saqueassem, queimassem e destruíssem a cidade de Jerusalém. O Templo de Salomão, que tinha existido por cerca de 400 anos, foi totalmente queimado. O profeta Jeremias, uma testemunha ocular desses acontecimentos, escreveu o Livro de Lamentações como um lamento pelo que tinha acontecido a Judá e Jerusalém. Lamentações tem como tema o cumprimento das profecias de Jeremias referentes à destruição de Jerusalém. Mas, também, o livro possui um tema pessoal, que é o registro do pesar de Deus pela destruição de Jerusalém. Lemos sobre sua dor e angústia ao ver Jerusalém destruída, através das palavras do profeta Jeremias. Jeremias escreveu uma série de cinco lamentações afim de expressar sua intensa tristeza e dor emocional por causa da trágica devastação de Jerusalém. 1. A humilhação de Jerusalém 2. A ruína de Jerusalém 3.A tristeza de Jeremias . 4.As grandes aflições. 5.Tristes recordações


Continue reading this ebook at Smashwords.
Download this book for your ebook reader.
(Pages 1-25 show above.)